Projeto Sala de Espera do Pronto Atendimento de São Marcos aborda malária

Os profissionais do Pronto Atendimento de São Marcos desenvolveram através do projeto Sala de Espera mais uma ação, nesta terça-feira, 25, desta vez com orientações sobre a malária – uma doença causada por protozoário que é transmitida principalmente pela picada da fêmea de algumas espécies de mosquitos do gênero Anopheles, os quais são chamados popularmente de mosquito-prego, carapanã, bicuda, entre outros.

A enfermeira Maiara Santos informou em sua palestra como se adquire a malária, os sintomas como: febre alta, calafrios e sudorese, sintomas esses que aparecem geralmente em padrões cíclicos e e ainda como é feito o tratamento da doença.

“A doença, se não tratada adequadamente, pode levar a pessoa à morte, sendo considerada um grave problema de saúde pública. Entretanto, é importante lembrar que o tratamento é eficaz, seguro e é oferecido gratuitamente pelo SUS”.

Entenda- A malária é uma doença transmitida geralmente pela picada de alguns mosquitos do gênero Anopheles contaminados com o protozoário do gênero Plasmodium. Apenas a fêmea do mosquito Anopheles pica o ser humano e, durante a picada, ocorre a inoculação dos parasitos no corpo humano em uma fase em que eles são conhecidos como esporozoítos. Estes invadem os hepatócitos (células do fígado) e multiplicam-se, dando origem aos merozoítos, que rompem os hepatócitos e caem na corrente sanguínea, onde invadem as hemácias.

Nas hemácias, os merozoítos passam por mudanças e formam trofozoítos, que dão origem a novos merozoítos, os quais rompem hemácias e invadem outras hemácias. Com isso, há ciclos repetitivos de multiplicação. No caso do Plasmodium falciparum e P. vivax, o ciclo repete-se a cada 48 horas. Quando as hemácias rompem-se, o indivíduo apresenta sintomas da doença, como febre.

Tratamento – O tratamento da malária é oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e inclui uma série de medicamentos, que visam, por exemplo, interromper a esquizogonia sanguínea (fase do ciclo em que os sintomas aparecem) e o desenvolvimento das formas sexuadas. Os medicamentos e respectivas doses para o tratamento são recomendados pelo médico e dependem do tipo de parasita que infectou o indivíduo, idade do paciente, gravidade da doença e se o paciente apresenta problemas de saúde ou é uma mulher grávida.

Galeria de Fotos

Share Button
Onde nos encontrar?

Av. Luís Tarquínio Pontes, n° 2576 Edifício Vilas Business, Sala 503, Bairro: Buraquinho, Lauro de Freitas-Bahia, CEP: 42.709-190

E-MAIL: 

institucional@ibdah.org.br

Horário de atendimento

De Segunda a Sexta: 07h às 17h

Siga-nos

© 2017 ibdah - Instituto Brasileiro de Desenvolvimento da Administração Hospitalar.