UPAE realiza campanha educativa janeiro roxo: combate e prevenção à hanseníase

A equipe de fisioterapia da UPAE Abreu e Lima, região metropolitana da grande Recife realizou nesta quinta-feira, 23, mais uma campanha educativa: Janeiro Roxo, que promove ações de conscientização sobre a hanseníase; a iniciativa é apoiada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), por intermédio do Departamento de hanseníase.

Durante o período da manhã, as fisioterapeutas da unidade, Claudia Guimarães e Anakettlem Santana orientaram pacientes sobre os riscos de contágio, sintomas e tratamento da hanseníase.

Cláudia Guimarães destacou a importância da ação. “Essa campanha é importante para conscientizar, esclarecer e desmitificar ideias equivocadas da população sobre a hanseníase. As pessoas precisam ficar atentas, porque a única forma de prevenção é quebrar a cadeia de transmissão. Não há algo que possa prevenir a doença, pois não existe vacina ou um remédio para a hanseníase”, explicou.

Anakettlem Santana acrescenta a opinião da colega: “A hanseníase é uma doença infecciosa e contagiosa, que causa manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele. A pele também pode ter alteração da sensibilidade e o paciente não sente (ou tem sensibilidade diminuída) calor, frio, dor e mesmo o toque. Podemos contribuir na redução de novos casos com o reconhecimento precoce e encaminhamento para tratamento, contribuindo com a cessação do contágio “, concluiu.

ENTENDA- A hanseníase é uma doença infecciosa transmitida através das vias aéreas, principalmente quando há contato próximo e prolongado com paciente não tratado. Após o contágio, a pessoa pode demorar de 2 a 10 anos para demonstrar os primeiros sintomas, que são principalmente manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele, dormentes e sem sensibilidade ao toque, que não coçam e não incomodam. Além da pele, principal afetada, a doença pode atingir também os olhos, os nervos periféricos e outros órgãos. Quando afeta os nervos, a hanseníase pode diminuir a sensibilidade ou causar formigamento das extremidades das mãos, pés ou nos olhos. Perda de força muscular, até mesmo nas pálpebras, também pode acontecer.

TRATAMENTO GRATUITO PELO SUS – A doença tem cura e o tratamento é gratuito e disponibilizado em todo o território nacional pelo Sistema Único de Saúde. Após iniciar o tratamento, a hanseníase já não é mais transmitida. Ao notar algum sintoma suspeito da doença, é preciso procurar uma unidade de saúde.
O paciente que inicia o tratamento não transmite a doença, a hanseníase tem cura.

Galeria de Fotos

Share Button
Onde nos encontrar?

Av. Luís Tarquínio Pontes, n° 2576 Edifício Vilas Business, Sala 503, Bairro: Buraquinho, Lauro de Freitas-Bahia, CEP: 42.709-190

E-MAIL: 

institucional@ibdah.org.br

Horário de atendimento

De Segunda a Sexta: 07h às 17h

Siga-nos

© 2017 ibdah - Instituto Brasileiro de Desenvolvimento da Administração Hospitalar.